PRINCIPAIS TÉCNICAS

As cirurgias diferenciam-se pelo mecanismo de funcionamento. Existem três procedimentos básicos da cirurgia bariátrica e metabólica: * restritivos – que diminuem a quantidade de alimentos que o estômago é capaz de comportar. * disabsortivos – que reduzem a capacidade de absorção do intestino. * técnicas mistas – com pequeno grau de restrição e desvio curto do intestino com discreta má absorção de alimentos.

A maioria das cirurgias bariátricas pode ser realizada pela técnica videolaparoscópica ( técnica dos furinhos). Na técnica videolaparoscópica, injeta-se um gás ( gás carbônico) dentro do abdome para criar espaço, onde o cirurgião poderá fazer a operação. Após a realização de cinco ou seis furinhos, de cerca de meio a um centímetro, uma câmera de televisão pequena é colocada dentro do abdome através de um dos furinhos para que o cirurgião e sua equipe possam visualizar todos os órgãos em uma televisão. Os instrumentos ( pinças, tesouras, grampeadores…) são colocados através dos outros furinhos para realizar a operação. A técnica laparoscópica tem como vantagens: recuperação mais rápida do paciente, menor dor pós-operatória e cicatriz cirúrgica mínima.
As duas técnicas mais realizadas no Brasil atualmente são:

Bypass gástrico (gastroplastia com desvio intestinal em “Y de Roux”) – Cirurgia de Fobi-Capella:

O bypass gástrico é a técnica bariátrica mais praticada no Brasil, devido a sua segurança e, principalmente, sua eficácia. O paciente submetido à cirurgia perde aproximadamente de 30% a 40% do peso inicial. Nesse procedimento misto, é feito o grampeamento de parte do estômago, que reduz o espaço para o alimento, e um desvio do intestino inicial, que promove o aumento de hormônios que dão saciedade e diminuem a fome. Essa somatória entre menor ingestão de alimentos e aumento da saciedade é o que leva ao emagrecimento, além de controlar doenças, como a hipertensão arterial e diabetes.

Os principais riscos específicos para essa técnica são:
– anemia crônica devido à deficiência de vitamina B12;
– síndrome de dumping quando consome-se muito açúcar ou grandes quantidades de comida;
– dilatação da bolsa gástrica;
– a parte desviada do estômago, duodeno e segmentos do intestino delgado não podem ser facilmente visualizadas usando raio X ou endoscopia.

Gastrectomia vertical – Cirurgia de Sleeve:

O grampeamento é utilizado para criar uma gastrectomia vertical fina no estômago. O restante do estômago é removido. A digestão e absorção são normais. É uma técnica não reversível. Apresenta menor incidência da síndrome de dumping. A redução de peso é semelhante à cirurgia de by-pass ( entre 30 a 40% do peso). É um procedimento relativamente novo, praticado desde o início dos anos 2000. Tem boa eficácia sobre o controle da hipertensão e de doenças dos lípides ( colesterol e triglicérides).

CIRURGIA BARIÁTRICA
DOENÇAS ASSOCIADAS
CONTRA INDICAÇÕES PARA CIRURGIA BARIÁTRICA
FATORES DE SUCESSO
PREPARO PARA A CIRURGIA
INTERNAÇÃO
APÓS A ALTA HOSPITALAR